Akame ga Kill

E a parte sombria de uma revolução.

Akame e murasame, a espada do One hit KO

Em primeiro lugar, eu gostaria de me apresentar.  Eu sou o Nachozcaoticus (twitter @nachozcaoticus, se quiser seguir), e a partir de hoje eu farei posts com frequência no Omnia, a convite do Boss Rubio (obrigado pelo convite, Boss!). Podem me chamar de Leon também, se quiserem. Talvez os meus posts ainda não sejam muito bons, ainda tenho muito a melhorar, mas com um pouco de apoio dos leitores e crítica construtiva a gente alcança algo de qualidade! Agora vamos ao que interessa: a obra! http://www.mangaupdates.com/series.html?id=52028

Sinopse:A vila de Tatsumi passa por dificuldades econômicas. Devido a isso, ele e mais dois amigos  treinaram na vila e ao atingir a idade da adolescência, saíram em jornada para a capital do Império onde vivem, para tentar conseguir um lugar no exército, e assim conseguir dinheiro para sua vila. Eles vão por caminhos diferentes e esperam se encontrar na cidade. Tatsumi aparentemente chega primeiro, é roubado, e através de uma série de acontecimentos conhece uma guilda de assassinos, e é atacado por ela por ser testemunha de uma de suas missões. Devido à sua habilidade com a espada e preparamento físico, ele consegue resistir alguns minutos a ser assassinado, e como não tinha dinheiro, foi convidado a entrar na importante guilda de assassinos Night Raid!

Tyrant

O que dizer sobre essa obra? simplesmente que sou todo elogios pra ela. Não teve absolutamente NADA que me desagradou. Seja pelos traços, simplistas, porém reconfortantes, paisagens simples, mas condizentes com a condição do mundo retratado. Os traços também não decepcionam ao transmitir a emoção dos personagens.

Vale a citação especial para as “Danger Beasts”, que são ao mesmo tempo simplistas e interessantes. O traço nelas parece acompanhar sua bestialidade, como se a intenção fosse animalizar o traço, e o efeito é excelente.  É como se Tashiro Tetsuya conseguisse reproduzir com detalhes a sua imaginação, e aplicasse a isso uma rusticidade controlada no seu estilo de desenho. São criadas desde Danger Beasts baseadas em criaturas reais até Danger Beasts com designs próprios.

Hot-blooded action sequence

Ok, vamos situar você, caro leitor que desconhece o Mangá: Esse é um mundo que se passa depois de mil anos da criação de armas de combate/ espionagem chamadas teigus. Esses Teigus foram feitos de Danger Beasts, que são as espécies do mundo de Akame Ga Kill. Elas são classificadas por níveis de E a S. Muitas delas tem habilidades especiais, que são incorporadas à ferramenta teigu.

Nesse mesmo mundo temos um império que perdura a mais de 1000 anos (o calendário consta 1024 desde sua fundação). Esse império, que um dia já foi justo, se tornou corrompido. Atualmente, no ano de 1024, ele é governado por uma criança. Isso, porém, é apenas faxada, já que quem controla o império de verdade é o Ministro. E ele é simplesmente MAU. Típica personagem egoísta, mesquinha e que não se importa com o reino.

É um vilão clichê, mas que de alguma forma parece funcionar nesse manga. Depois de sermos apresentados à Tatsumi e à guilda de assassinos Night Raid – composta por Leone, Rabac, Mein, Schere, Braht, e Akame, todos portadores de teigus – o autor nos leva por várias missões que servem para conhecermos o Império, desenvolvimento de personagens, apresentação de outros, aproximar Tatsumi do grupo e fortalecê-lo. O objetivo principal é um só: Matar o ministro.

Mas para isso eles antes precisam enfraquecer o Império, pois a guarda no castelo é extremamente rígida, mesmo para 5 pessoas habilidosas equipadas de teigus. O mangá ainda não foi finalizado (até o dia 27/10/2012, pelo menos, depende de quando você está lendo isso), mas já apresentou inimigos poderosos, maravilhosas sequencias de batalha e um clima que oscila com maestria entre a comédia, o drama, o sombrio e a ação “hot-blooded”.

Braht sendo Braht

As personagens dessa obra são excelentes. Indo desde a desajeitada e poderosa Akame, sempre preocupada com seus companheiros, devido a seu passado, até Braht, um personagem homossexual muito mais macho que muita gente por aí, que possui ideais excelentes, muito poder e inspira as pessoas, além de possuir a sequencia de batalha no mangá que pra mim, é uma obra prima.

Todas as personagens nesse manga, mesmo os vilões, são dotadas de imenso carisma, o que é sempre um ponto positivo. Sabe quando você se importa tanto com as personagens a ponto de falar com o mangá em voz alta?

Até o protagonista, que na maioria dos trabalhos recentes é meio desagradável por não ter habilidades ou atitudes, quebra o clichê. Tatsumi age em prol de seus objetivos e ideais, ao invés de apenas reagir ao que lhe é imposto (isso acaba sendo meio limitado, por ele fazer parte de uma organização, porém ainda assim ele toma atitudes independentes, o que é um grande “plus”.

O pacing do mangá, ou seja, seu ritmo, acontece de forma suave, não é rápido demais, nem lento. Não há grandes arcos de treinamento, e a obra conta com uma boa dose de acontecimentos. Devido a isso, a leitura acaba não ficando massante, fazendo com que o leitor fique ansioso por cada próximo capítulo.

Voltinha com o dragão, coisa básica

Mas pra mim, o que mais vale a pena nesse mangá são os teigus. Essas ferramentas são MUITO bem pensadas, e graças a eles ocorrem batalhas interessantíssimas! Eu particularmente sou um fã alucinado, alucinado de verdade, com esse tipo de detalhe na história do mangá. Algum tipo de sistema de armas com poderes originais, ou poderes diferentes, com efeitos diferentes, que não são só poderes, mas que são utilizados com inteligência também.

É excitante a expectativa por eles, aprender sobre suas habilidades, seus defeitos, como eles podem ser usados, quais são os teigus existentes, e enfim, a infinidade de poderes interessantes a se explorar. E o autor, Takahiro, executa essa função da ferramenta de enredo chamada “poderes especiais” de forma magistral, aproveitando ao máximo cada teigu, construindo situações onde seu uso será necessário.

Incursio

Eu definitivamente recomendo Akame ga Kill. Acredito que ninguém se arrependerá de ler.

Anúncios