Shadows of the Apt – Empire in Black and Gold

Mundo fantástico que não usa os sempre recorrentes elfos e orcs? Raças baseadas em insetos? Steampunk Vs magia? Se você gosta de todas essas coisas, certamente tem um gosto muito específico, e agora ele pode ser atendido com a série Shadows of the Apt.

Você provavelmente não ouviu falar dessa série, ela não tem nem uma pagina no Wikipédia, isso quer dizer que é desconhecida as hell; apenas esbarrei nela por ter achado a capa interessante o bastante para ir ler a sinopse e por ter um gosto muito específico.

O primeiro livro “Empire in Black and Gold”, começa em In medias res(no meio do história), com um ataque do grande “vilão” do livro, o Império das Vespas, a cidade de Myna e somos apresentados ao nosso herói Stenwold Maker e os seus companheiros. Que por uma série de eventos acabam fugindo da cidade.

Com isso você pensa “agora vamos acompanhar ele procurando companheiros para lutar contra o Império” ou “ vai contar como tudo aconteceu”, mas não, se passam 20 anos e agora ele virou um professor na cidade dos “pensadores”, Collegium, e logo somos apresentados a um grupo de jovens estudantes dele, indo para um torneio na cidade.

Isso foi uma das primeiras coisas que me pegaram, primeiro apresentar uma personagem como o herói, antes de passa-lo para o lugar do mentor, e isso no primeiro capitulo, assim colocando um grupo de jovens aos seus cuidados, e para vê-los crescerem.

O grande triunfo do livro é o mundo criado, não que tenha nada errado com o típico mundo de fantasia, com gnomos e anões, humanos racistas e dragões, mas o grande problema disso, é que já sabemos por cima como todos são, vivem etc; elfos são da floresta, anões das montanhas e por ai vai; então ter um mundo onde tudo é desconhecido é algo fresco, que vem muito bem, mas então, qual é a desse mundo criado?

As raças são divididas por tipos de insetos, tem as raças dos louva-deuses, dos besouros e por ai vai; cada uma com sua história, características, crenças e tudo mais, no primeiro livro apenas uma parte do mapa é mostrada e é apresentado um punhado de raças, mas nos próximos livros aparecem mais, é só ver o mapa do primeiro e o do ultimo lançado para ver a diferença de material apresentado; um fato interessante que o autor do livro, Adrian Tchaikovsky, estudou zoologia, então as raças tem uma camada de “realismo”, pelo menos é essa imagem passada.

Mas, mesmo sendo divididas por tal, todos ainda são considerados humanos, que as características de sua raça inseto, por exemplo, aqueles que vem da raça das moscas, são pessoas pequenas de pele escura que podem usar magia para criar assas, e são conhecidas por sua velocidade, muitas vezes trabalhando de entregadores.

Outro ponto que divide as raças, é a tecnologia, no mundo existem dois tipos, os apt, aqueles aptos a usar ela e os inapt, que seu cérebro não consegue entender como uma maquina funciona, assim ficando inaptos a usá-las; isso fez com que as raças aptas a usar, conseguissem “dominar” aquelas sem.

Sobre a estrutura do livro, ele tem uma narrativa bem rápida, sempre mudando personagens sem avisar, e são muitas personagens; com isso ganhando um ritmo bem frenético nas partes de ação, entretanto, certas vezes há uma confusão sobre o que está acontecendo, e principalmente isso pesa no meio do livro, onde muitas personagens estão longes umas das outras, dando um certo cansaço de ler; mas ao chegar ao final, parar de ler é uma tarefa impossível.

Sem duvida nenhuma, recomendo essa série para a leitura, apesar de certas falhas ao longo, os pontos positivos superam os negativos; é um mundo muito interessante, e já tem varias continuações, no momento sete livros lançados, com o oitavo para esse ano e com previsão para ter dez volumes.

Anúncios